IFood revela que 5 pizzas são pedidas por segundo em sua plataforma

IFood revela que 5 pizzas são pedidas por segundo em sua plataforma

Sabemos que o brasileiro é apaixonado por pizza e recentemente, o Ifood divulgou dados que reforçam essa paixão – segundo a foodtech, mais de 41 milhões de pizzas foram solicitadas pelo app, o que equivale em média a 5 pizzas por segundo com destaque para a calabresa, sabor mais pedido, seguido por frango com queijo cremoso, mussarela, marguerita e portuguesa.

O levantamento foi disponibilizado em julho, para celebrar o Dia Mundial da Pizza, visando apresentar um panorama sobre os hábitos de consumo dos brasileiros. Assim como também revelado pelo estudo da APUBRA na mesma ocasião, foi registrado um aumento no consumo na região nordeste, com destaque para o Ceará.

A plataforma também revelou que 79% das empresas cadastradas são classificadas como PME. Dentro da plataforma, considerando o último semestre de 2022, o prato também apresentou crescimento em 5% no número total de pedidos. Entre os horários e dias favoritos para consumo, a plataforma revelou que os brasileiros adoram pedir pizza aos finais de semana no jantar.

Três das melhores pizzarias do planeta estão em São Paulo

Três das melhores pizzarias do planeta estão em São Paulo

Que o brasileiro é apaixonado por pizza, não é novidade para ninguém. Estima-se mais de 5 milhões de pizzas consumidas por dia no país nas cerca de 112 mil pizzarias ativas. Mas, o país que ama pizza também se destaca por abrigar 3 das 100 melhores pizzarias segundo o ranking 50 Top Pizza World 2022, que é atualmente o mais abrangente do mundo, contando com mais de 150 especialistas como jurados.

É do Brasil – As três casas brasileiras citadas no ranking estão localizadas em São Paulo. Ocupando o 77ª lugar, a Pizza da Mooca é uma casa napoletana criada pelo chef Fellipe Zanuto e Bruna Zanuto. Na sequência aparece a Leggera Pizza Napoletana, com unidade nos Jardins e em Perdizes, em 83ª lugar. Quase fechando o ranking está a QT Pizza Bar, de Matheus Ramos, em 99° lugar.

O ranking foi divulgado em setembro e como novidade da edição, foi a primeira vez que os países da Ásia, como China e Japão, além de Oceania foram incluídos em uma avaliação diferenciada para essa área.

Pizzaria mais antiga da história é interditada

Pizzaria mais antiga da história é interditada

Com mais de 200 anos de história, a  Antica Pizzeria Brandi sempre recebeu visitas de diversas partes do mundo devido a sua mais famosa criação, a pizza Margherita – feita especialmente para a rainha consorte, Margherita de Saboia. Mas nas últimas horas, a casa ganhou espaço na mídia internacional por um outro motivo – interdição de funcionamento após não seguir recomendações sanitárias, feitas pela agência dos Carabineiros, que gerencia ações de saúde na Itália e a ASL, Agência Sanitária Local.

Segundo relato das autoridades, a pizzaria havia recebido recomendações higiênico-sanitárias no último mês de agosto, mas mesmo após os apontamentos, em uma nova visita, foram detectados os mesmo problemas e com o fim do prazo para ajustes, a pizzaria teve seu funcionamento interditado nesta semana.

Nas redes sociais, a Antica Pizzeria Brandi informa seus clientes de que devido a “uma manutenção extraordinária”, o estabelecimento ficará fechado entre os dias 20 e 21 de outubro.

Evite problemas na sua pizzaria

No Brasil, a entidade reguladora é a ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A notícia fica como alerta para que os estabelecimentos fiquem atentos às normas e atualizações solicitadas pelo órgão.

Como principal entidade do setor de pizzarias, a APUBRA também oferece apoio nesse sentido para todos os associados, com profissionais qualificados para auxiliar e sanar dúvidas, mantendo-os em dia com os requisitos da entidade regulamentadora.

Pizza Hut do Canadá inicia testes de operação de entrega com robôs

Pizza Hut do Canadá inicia testes de operação de entrega com robôs

Trajeto é feito totalmente automatizado, do restaurante até o endereço do cliente

 Nas últimas semanas viralizou a notícia dos testes de uma gigante do setor, Pizza Hut,   iniciou testes operacionais de entrega com robôs em parceria com a Serve Robotics.   As operações ainda acontecem para entregas em curtas distâncias, mas a aposta das empresas é de que com os avanços dos testes, as entregas poderão ampliar o raio de alcance das entregas.

SEGURANÇA –  Cada robô vem equipado com um sistema de PIN personalizado, que possibilita ao cliente adicionar esse código no momento de entrega  e assim ter acesso ao produto.  Além da segurança ao cliente correto, os robôs também são equipados para caminhar pelas ruas  sem apresentar riscos aos pedestres.  No momento, a experiência é oferecida apenas para os usuários que façam pedidos diretamente pelo aplicativo da rede.  Também via app, é possível acompanhar em tempo real o trajeto de entrega. A Serve Robotics em entrevistas, alerta que  o robô não substituirá a mão de obra humana – mesmo sendo autônomo, a empresa ressalta que o uso dos android chega para complementar lacunas quando restaurantes enfrentam ausência de mão de obra para restaurantes.

Acha que a solução seria viável no Brasil? Vale lembrar que em território nacional, o Ifood já anunciou a presença de robôs que fazem o atendimento de funcionários da foodtech dentro de seu campus.

Cientista desenvolve técnica que dispensa o fermento na pizza

Cientista desenvolve técnica que dispensa o fermento na pizza

O fermento é o grande destaque para o sucesso de uma massa de pizza macia mas com a crocância na medida certa – mas o ingrediente que é responsável por essas qualidades, também é a causa de graves alergias.   Um estudo recente realizado na Itália,  revelou que seguindo “algumas etapas”, é possível eliminar o ingrediente e manter todos os adjetivos que tanto amamos em uma pizza. O responsável pelo estudo é o cientista italiano Ernesto Di Maio, que assim como milhares de outras pessoas, descobriu que as graves alergias sofridas são causadas pelo fermento e na jornada para solucionar o problema, encontrou na ciência uma forma de voltar a consumir o alimento que é paixão em diversas partes do mundo. O resultado do estudo foi publicado em março deste ano  na renomada revista  científica “Physics of Fluids”.

Etapas do processo – Não foi uma jornada simples e a equipe contou com o auxílio de um engenheiro químico e um estudante de doutorado trabalhando como chef pizzaiolo. Os primeiros experimentos utilizaram ingredientes simples como água corrente, sal marinho iodado e farinha e para processos distintos para preparar massa levedada e a massa sem fermento para obterem uma comparação.  Como esperado, a massa fermentada se tornou mais elástica, apresentando em média 20% a mais de crescimento, enquanto que a outra amostra mal sofreu alteração ao longo do tempo e diminuiu ligeiramente em área.  Em um segundo momento, Di Maio ciente das alterações provocadas, utilizou uma autoclave, dispositivo industrial fechado que tem como principal uso o objetivo de esterilizar objetos matando bactérias, vírus e fungos.  Com o instrumento os cientistas mexeram nos níveis de pressão e temperatura necessários para alcançar o objetivo. Também foi observado a formação de espuma de poliuretano, que também auxilia no processo de expansão.  A etapa final foi colocar uma pequena massa de pizza sem fermento, do tamanho de uma moeda de um centavo de dólar, em uma autoclave quente. Ao longo de alguns minutos, eles mudaram os níveis de pressão para cima e para baixo enquanto dissolvem o gás na massa em altos níveis de pressão. À medida que a pressão foi liberada lentamente da autoclave, bolhas se formaram na massa. A consistência final obtida foi  semelhante à de uma massa tradicional feita com fermento.

Apesar dos avanços, segundo entrevista de Di Maio à CNN,  o projeto ainda não é viável. O cientista permanece em estudo e almeja evoluções para os próximos anos.

Conhece outras formas de substituir o fermento na massa?  Compartilhe em nossas redes sociais.

Restaurante do Futuro é destaque na Latam Retail Show

Restaurante do Futuro é destaque na Latam Retail Show

As tendências para quem quer se diferenciar do mercado foram destaques durante a Latam Retail Show 2022, mais importante evento de varejo e consumo B2B da América Latina, realizado em setembro de 2022.
A APUBRA foi conferir de perto essas novidades, com destaque para o Restaurante do Futuro. Um espaço criado para demonstrar uma completa jornada de compra, integrando com perfeição desde a tecnologia a experiência do cliente.
O restaurante simula uma operação real, desenvolvido para criar uma experiência única em todas as etapas, desde a entrada até o encerramento do serviço.
Na recepção, um robô de autoatendimento garante uma simpática boas-vindas.
Logo após, realiza a apresentação de todas as opções de produtos e serviços oferecidos no espaço. O destaque fica por conta das câmeras que capturam as expressões faciais dos clientes, demonstrando suas reações e preferências.
Depois, os pedidos são feitos em um totem, com cardápio todo 3D. Enquanto o pedido é preparado a diversão está garantida. O cliente pode aproveitar para brincar no tapete interativo tridimensional, onde é possível jogar futebol ou tocar piano com os pés.

A comida é feita para integrar o que é prioridade para o consumidor, com destaque para a possibilidade de personalização. “É preciso integrar e entregar uma proposta que relaxe o cliente, unindo mistura do artesanal com a praticidade do dia a dia”, destaca Cristina Souza, CEO da Gouvêa Foodservice, curadora no Latam Retail Show.
O restaurante do futuro também tem novidade na parte de gestão, onde conta com dashboard para controlar dados essenciais, tais como performance, metas e operação.